15.1.07

Ginger e Fred – CCSP – 14/01/06

Ginger e Fred


Saí de casa e não muito tempo depois estava no CCSP (antigo Centro Cultural Vergueiro). Sem filas peguei meu ingresso para a sessão de cinema das 6 e fui esperar na lanchonete do lugar. Cinco e meia fui pra fila (que já tinha bastante gente) e seis em ponto abriram as portas. Uma sala de cinema relativamente pequena, mas confortável.

Colocaram o DVD do filme em questão, Ginger e Fred, e, após algumas tentativas frustradas, conseguiram dar “play” no filme.

Obra de Federico Fellini, Ginger e Fred conta a história uma dupla que fazia um número imitando Ginger Rogers e Fred Astaire, dois grandes dançarinos de Hollywood, nos anos quarenta. Trinta anos depois se reencontram para participar de um programa de televisão e dançar juntos novamente.

O mais brega do mundo dos anos oitenta está lá. Desde os cabelos, as luzes, as propagandas, as roupas. Tudo nos remete ao que de pior teve o gosto daquela década. E é exatamente com esse pano de fundo que se reencontram Pippo e Amelia, os personagens principais.

A atuação de Marcello Mastroianni é de cair o queixo. O ator, já mais velho, valeria o filme por si só. Seu personagem é um bailarino que dormia com todas as mulheres, menos Amelia. E que ficou muito abatido quando a dupla acabou. Em meio a todo aquele mundo oitentista, uma volta ao passado no reencontro dos dois naquele programa de televisão.

No cinema, parecia que víamos um jogo de futebol na Copa do Mundo. As pessoas riam, choravam, torciam. Ao meu lado, uma menina a certa altura do filme não se agüentou: “mas o que ele vai fazer? O que ele vai fazer? Não!”. Divertido, pois o cinema ficou, por instantes, italiano.

Engraçado que as personagens principais, apesar de estarem vendo aquela Roma que se mostra decadente, reanimam-se nas lembranças e nos olhares daqueles passos que davam quando imitavam a dupla hollywoodiana. Era em outra Roma que estavam enquanto esperavam entrar em cena.

É um filme para alugar e ver uma, duas vezes. Para quem gosta de comédia italiana, com toques de beleza e sutileza, uma boa pedida. Fiquei com bastante curiosidade de ver mais e mais Fellini, e confesso que tentarei ver mais dessa Mostra Fellini que está rolando no CCSP. Valeu a pena.

Custos:
Coca-Cola: R$ 2,00
Transporte: Fui e voltei a pé
Total: R$ 2,00

Nota: 9,5

3 comentários:

Mariana disse...

Ai, eu quero ver pelo menos um dos filmes dele... o CCSP tá diferente... tá mais frequentando, mais cheio... rsrsrsrrss... deve ser por causa das férias... mas bele, tendo um lugarzinho pra mim, nem reclamo ó, hahaha...

edineysantana disse...

em minha pequenina cidade mesmo com dinheiro no bolso fica complicada a festa...cidade pequena, pequena alegria e dores...

Edson marques disse...

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

Recomendo o vídeo MUDE(se puder veja-o).

Abraços, flores, estrelas...