13.8.06

Cordel do Fogo Encantado – Ibirapuera – 12/08/06

Poesia, sempre


O sábado trouxe às crianças vários presentes. Na Praça da Paz do Parque do Ibirapuera, durante todo dia elas puderam acompanhar muitos espetáculos de bonecos, circo de pulgas e outros – eventos do Sesi Bonecos do Mundo. A praça se enchia também adolescentes e adultos que faziam ponto em frente ao palco número dois para esperar a banda Cordel do Fogo Encantado.

Com quarenta e cinco minutos de atraso, às 21h45, e uma platéia mais do que impaciente, as cortinas se abriram e o apresentador chamou ao palco o Cordel. Vestidos de branco, entraram e foram se acomodando aos instrumentos. O vocalista Lira Paes parecia orar. Agachado, dizia palavras para si mesmo. Ao toque do tambor deu um pulo, agarrou o microfone e começou a cantar.

Ao meu lado, uma pessoa incomodava muito. Completamente chapado, ele dançava de forma a bater em todos a sua volta, sempre. Algumas reagiram e só depois disso os seguranças, tardiamente, intervieram. O homem foi retirado...

Eu estava bem em frente ao palco, e o show ia em temperatura alta. Como resposta à briga ocorrida, durante a música Tempestade o cantor entoou a estrofe “Se eu pudesse trazer paz” apontando para o público, como um pedido.

Cordel do Fogo Encantado é um espetáculo cênico que começou em Arcoverde, Recife, em 1997, e foi se transformando em banda de música ao decorrer dos anos. Não perdeu, porém, o seu jeito teatral de ser.

O público não se continha - aplaudiam o tempo todo, gritavam, cantavam. Os poemas recitados pela banda eram, todos, acompanhados por inteiro por grande parte da platéia presente, que já sabia de cor até a música nova que a banda tocou, Ela disse assim. A canção conta a história de uma menina linda que se jogou do alto de um prédio muito alto. “Se ela quer voar é porque tem asas.” Bela música, por sinal.

Então surge dos camarins o Fogo Encantado. Lira Paes traz nas mãos um candelabro, e dele tira uma chama que o acompanha durante a música. Brinca, leva ao ar, traz ao chão. Parece fazer parte do fogo.

A banda é percussiva, num estilo que lembra o Maracatú Atômico de Chico Science. A guitarra, único instrumento harmônico do grupo, por horas faz vezes de percussão. Os vocais são agressivos e de fácil entendimento. Poesias, sempre. A impressão que temos é a de que as letras foram retiradas de algum livro de poesias.

Entre mim e o palco só havia uma vão de cerca de dois metros para fotógrafos e seguranças. Mas, assim que o show começou, o espaço ficou lotado. Ali estavam pessoas consideradas vips, em um espetáculo gratuito. Sentada à minha frente, dentro do vão, uma morena de olhos verdes, de tirar o chapéu, faz uma pergunta ao segurança. Não sabendo responder, ele recorre a mim: “Qual é o nome da banda?”. A menina, de nome Priscila de Almeida, é sobrinha do dono do Sesi, e estava lá porque falaram que a banda era legal.

Depois de apenas uma hora de apresentação, o show acabou, para tristeza dos fãs. Uma Praça da Paz lotada começou lentamente a ir embora levando consigo poeira, fogo e asas.

Custos –

Doces - R$ 2,00
Bicicleta – R$ 4,00
Ônibus – R$ 2,00 (ida e volta no bilhete único)
Total – R$ 8,00

Nota – 9

10 comentários:

Anônimo disse...

desculpe vc pode até ter razão em relação a algumas coisas q escreveu mais 1º foi infeliz em dizer q ´´uma platéia mais do que impaciente```estavamos todos nos divertindo mto, claro q a maioria q estava lá foi p/ ver o Cordel q mesmo com atraso foi maravilhoso!!! e 2º é obvio q tinha gente se esbarrando...cordel é sentimento a flor da pele...eu tbém pulei e me esbarrei em um monte de pessoas e nem por isso o segurança me tirou de lá...e olha q eu bebi bastante vinho,quer saber show é isso ou vc nunca foi em um...até em show´s de pagodes tem gente se esbarrando e bebada...então da próxima vez...fique em casa....

Luciano Piccazio Ornelas disse...

as informações que eu coloquei no ar devem servir para a educação das pessoas, para que idiotas bêbados nao fiquem dando coloveladas em meninas de 15 anos em nome de sua liberdade

o rapaz ao meu lado inconveniente. Tao inconveniente que policiais tiveram que interferir e tirá-lo à força da praça da paz, nao antes dele distribuir socos e pontapés em pessoas a sua volta

Sandra E. Sato disse...

Oi Luciano, tudo bem?
Sou a japonesa que estava ao seu lado durante o show!!!
Felizmente, muitas pessoas não presenciaram a cena do cara muuuito bêbado sendo inconveniente com a galera que estava curtindo o show do Cordel do Fogo Encantado. Vale lembra tb que tinha uma criança de uns 5 anos no meio dessa confusão.
Sesi Bonecos do Mundo em SP foi um evento fantástico!!! Precisamos de muito mais cultura para que o lúdico e a magia façam parte de nossas vidas!!!
E que pessoa que não sabe aproveitar tudo isso reflita seus conceitos ou pelo menos respeite as pessoas que estão lá pra se divertir de uma forma saudável e inteligente.

Luc Limas disse...

É isto mesmo, Sandra. Mesmo para se divertir, as pessoas precisam preservar alguma educação. Se é que têm.

um abraço e parabéns por seu comentário.

->Tab* disse...

Olá!

Eu gostaria de dizer que eu gostei do post, por que para quem não teve oportunidade, conseguiu se encantar com um pouco do que foi esse espetáculo!

Mas você somente falou do show, e não desse mega evento, que esteve em São Paulo durante toda essa semana.

Super*Bjs
->Tab*

Fugironafuka disse...

aew luciano
tem uma amostra grátis, pra vc colocar aki no site, se quiser blz

http://diversao.uol.com.br/ultnot/2006/08/11/ult100u5543.jhtm

dah uma olhada ai
flw

Anônimo disse...

Fazer o quê?!Em show aberto ao público aparece de tudo.Gente mal educada, que nem precisa de estar bebada, primo(a)de gente importante(vips)e quem realmente curti e entende do Cordel!!!Esse é nosso Brasil!!!
Bem..só sei dizer que curti muito.

Anônimo disse...

Oi Luciano, sou a descabelada que estava ao seu lado, mãe da Thaynara (a menininha citada pela Sandra).Adorei sua visão do espetáculo... estávamos realmente imapcientes.... foi muito tempo de espera não é mesmo? quanto ao chato.... só quem estava do lado para sentir o medo que deu, afinal poderia ter sido um desastre... e com certeza ninguém merece, principalmente ao som de uma bela música; pra piorar o cara era super fã da Banda... dava pra ver... mas não soube se divertir, perdeu a visão privilegiada que estava tendo (se é que ele ainda enxergava alguma coisa). Apesar desses pequenos detalhes o Show foi maravilhoso.... lavei minha alma e perdi a voz!
Um grande abraço.
Minha família adorou ter conhecido vc... a gente se esbarra por aí.
Ah!!! Sandra vc tirou foto da minha princesa se puder enviar por e-mail(barbarababiguina@hotmail.com)
e VIVA a A R T E!!!!!!!!!

Lirinha disse...

Isso é uma vitória!!!Apenas um beberrão de ocorrencia,nossa isso é raro em show de graça nesta cidade.Só soube dessa ocorrencia nesse blog,pois estava ao lado esquerdo do palco, no fundo.

Boi nadou disse...

E ae Lirinha e o cordel ta a pampa?