24.8.06

Longe do Paraíso – Cinusp – 23/08/06

Sobre Mulheres


O Cinusp organiza mensalmente mostras temáticas de cinema, sempre gratuitas. O tema que abrange o metade do mês de agosto e de setembro é o Cinema Feminino Intimista; todos os filmes da programação tentam explicar um pouco do complicado universo feminino através da abordagem dos conflitos internos das personagens principais dos filmes (sempre mulheres, obviamente), nas mais variadas épocas e situações.


Ao chegar na sala, a maioria do público era composto por mulheres. Talvez por coincidência, talvez por interesse no tema da mostra, ou pela sensação de ver seus próprios conflitos refletidos numa tela de cinema.


Longe do Paraíso se passa em meados dos anos 50 numa cidade provinciana dos EUA, e narra a história de uma típica família-comercial-de-margarina, que tem a sua reputação e felicidade ruídas pelos desencontros amorosos entre o marido que se descobre homossexual e a mulher apaixonada pelo jardineiro negro que trabalha em sua casa.


Através dos conflitos da esposa Cathy, a imagem da família perfeita é desconstruída, mostrando o caráter falso da tal “beleza americana”. O mundo de Cathy e Frank é permeado por intrigas, fofocas, aparências e amizades falsas, mostrando os preconceitos e ranços da sociedade americana da década de 50. Cathy apanha do marido, sofre sem o apoio das “amigas” e é colocada de fato bem longe do paraíso onde fingia viver.


Além de ser um drama interessante e envolvente, o diretor Todd Haynes também acerta na produção e caracterização visual das personagens: Cathy lembra uma daquelas pin-ups dos anos 50 (em versão comportada, é claro).


Apesar do tema denso, Longe do Paraíso se desenvolve de maneira mais leve e agradável (ou menos incômoda) ao espectador do que dois outros filmes que fazem parte da mostra: Dançando no Escuro – onde é quase impossível não chorar - e As Horas. O primeiro é um musical do diretor Lars Von Trier (o mesmo de Dogville), onde uma mulher, brilhantemente interpretada por Björk, luta para salvar a vida de seu filho; e o segundo é um drama estrelado por Nicole Kidman que fala sobre a vida e obra da escritora Virginia Woolf através de três marcantes protagonistas.


Vale a pena conferir os filmes em cartaz no Cinusp, sempre muito bem selecionados, e o mais importante, exibidos de forma gratuita para todos.


Nota – 9

Custos – nada (fui e voltei à pé)

(foto de divulgação)

2 comentários:

Luciano Piccazio Ornelas disse...

muito bom!!! esse filme com a Bjork é um dos melhores que eu já vi!
as músicas que ela compôs para ele sao de tirar o chapéu
belo texto

Alessandro/ Garfield disse...

Perfectamente...