13.9.06

Deuses Gregos - FAAP - 13/09/06

Mito e Realidade, Arte e História

Quarta-Feira à tarde e o Museu de Arte Brasileira da FAAP lotado de excursões escolares, idosos e jovens que foram até lá conferir a já tão comentada exposição do acervo de arte greco-romana do Museu Pergamon de Berlim.

A mostra “Deuses Gregos” é divida entre as salas do museu de acordo com seus eixos temáticos. A primeira parte exibe estátuas de mármore dos deuses mais conhecidos do panteão grego: Hermes, Dionísio, Atenas, Afrodite, Zeus. As estátuas impressionam tanto pela perfeição das formas, quanto pela sua boa conservação – tendo em vista que foram esculpidas no período Helenístico (últimos séculos na cronologia antes de Cristo).

Passei depois para o salão que mais me emocionou durante toda a exposição: o Teatro Grego. Reproduções em mármore das máscaras usadas no teatro, estátuas de atores e uma imagem que sempre se repete, Dionísio. O deus da festa, do vinho e das bacantes.

Antes de passar para a outra ala do museu, reparei em um painel meio escondido que comparava o politeísmo grego e as crenças nos orixás. Não resisti, tive que ler. A comparação é feita na medida em que tanto os deuses gregos, como os orixás são entidades que regem não só a natureza, como também aspectos importantes da vida social e do comportamento humano, em seus respectivos contextos, é claro. A diferença maior entre eles se dá na forma de contato com esses deuses; os orixás “baixam” nos médiuns, aproximando-se assim das pessoas, os deuses gregos se aproximam através da arte. As tão belas estátuas não são à toa, são o modo de se aproximar, de cultuar e de venerar os deuses do Olimpo.

Do outro lado do museu, há uma réplica de jardim romano. Fontes, espelhos d’água, plantas e claro, estatuetas e peças de decoração da época. Seguindo em frente, há uma parte dedicada somente às festas, ritos, danças, e novamente Dionísio muito bem representado. Foi nessa parte que os vasos gregos, presentes em toda a mostra, me chamaram mais a atenção. Muitíssimo bem preservados, os vasos impressionam pela técnica, mas também pela beleza dos desenhos neles gravados, contando os mitos e os deuses dessa civilização.

A última sessão é uma “reconstituição” do altar de Pergamon, que dá nome ao museu de onde a mostra foi retirada. Aqui é notada uma preocupação arqueológica, de não só preservar os vestígios e ruínas dos templos, mas de reconstituir também o caráter pomposo e o status-quo dos templos e dos adoradores dos deuses, para que o observador contemporâneo realmente consiga perceber e se aproximar do local que visita e de seu contexto histórico.

Quando se vai numa exposição cujo tema é Grécia antiga, ou mesmo ao estudar o tema, é difícil perceber a diferença entre realidade e mito, entre história e arte; essas instâncias se confundem. E é exatamente isso que imprime esse caráter único e encantador à exposição, fazendo-a ser tão fascinante.

Custos - 2 reais (ônibus para ir e voltar)
Nota - 10

(Imagens de Divulgação)

7 comentários:

Allan Brito disse...

Com certeza a Grécia antiga é muito intrigante mesmo!!! Muito interessante a comparação no "painel meio escondido"!!!

Luciano Piccazio Ornelas disse...

Helô, seu texto está impecável!
nota 10

Garfield disse...

Perfectamente!!
=)
chorei na parte do Teatro Grego...
hahahah
Mas agora q sei q tem o teatro eu vo certeza...
Dona Sandra leu e gosto...já anoto o site para visitas periódicas constantes...
Bj

Patricia Isawa disse...

Eu tambem fui nessa exposição, fiquei espantada com o realismo das estátuas e com a arquitetura, e como sou uma futura arquiteta puxo pra esse lado ;)
luciano, reabriu o planetário do ibirapuera, após 7 anos fechado, custou milhões a reforma, mas vale a pena conferir, alem da arquitetura, o céu com um novissimo projetor (não sei se chama projetor... hahahaha) o tel é 5575-5425 e até o final de outubro, se não me engano, é de graça!!!
bom eu fui lá e amei
beijinhooooossssss

Anônimo disse...

Ao ler seu texto fiquei com muito mais vontade de visitar essa exposição. As impressões pessoais que marcam sua resenha revelam um olhar interessado na busca do belo, da arte. Beijo, Mamâe

Denise disse...

Eu tenho certeza que vou achar essa exposição mto legal, pois eu vou ver com o meu colégio na quinta!


Vai ser d+!

BeJoOoOoO =**

Luciana Rocha disse...

A exposição está interessante, é um privilégio ver as cerâmicas, as esculturas divinas. O mais legal é que muitas das peças foram restauras especialmente para essa mostra...nem o público alemão teve contato com elas! trabalho na exposição e fico feliz que tanta gente visite esse pedacinho da Grécia antiga aqui em São Paulo.
Beijos.