12.9.06

Paranga – Sesc Consolação – 11/09/2006

A alegria que vem do interior

Mazzaropi foi um ator e cineasta que trouxe muitas alegrias ao povo brasileiro durante o século XX. Em seus filmes havia diversos destaques, mas a trilha sonora era um encanto à parte. Um dos principais compositores era seu amigo: Elpídio dos Santos.

Na segunda metade da década de 70 os filhos do compositor resolveram retomar algumas dessas canções e fundar o grupo Paranga, apelido da cidade paulista São Luiz do Paraitinga. Após mais de vinte e cinco anos, com mudanças na formação, as raízes continuaram firmes. O show dessa segunda-feira foi uma grande homenagem a este poeta caipira.

O público ia chegando aos poucos: alguns jovens e muitas senhoras animadas, que eram as fãs mais antigas da banda. Começou pontualmente no horário marcado (20h) e uma formação básica da banda, com apenas voz e dois violões, tocou O Despertar do Sertão, para acordar a todos com uma bela melodia.

Renata Marques (voz), João Gaspar (violão) e Negão dos Santos (violão) tinham o controle do pequeno palco. A interpretação de Renata foi um destaque fundamental, mas o talento de Negão, filho de Elpídio, impressionou. Muitos aplausos e gritos foram arrancados, e a simpatia da vocalista ficou clara pelos comentários que fazia entre as canções.

As músicas passeavam por diversos estilos musicais, mantendo a raiz nas letras e na interpretação da vocalista. Havia marchas de carnaval, boleros e sambas, mas o dueto com Negão dos Santos em um “fox” bem tocado fez a noite valer a pena. A vontade era de não sair dali, torcer para o show não acabar, pois a beleza e a paz que vinham dessas músicas cantadas com a alma eram irresistíveis.

Como disse a última canção do show, “enquanto o violão chorava o nosso coração cantava”. Uma viagem para a tranqüilidade e simplicidade das cidades do interior era inevitável: nos acordes alegres e na voz bonita, o público foi conquistado, e era como se eu esquecesse de onde estava. Sentia-me tranqüilo e alegre, uma paz poucas vezes percebida na nossa agitada capital.

A ausência de mais percussão foi sentida em algumas músicas, mas havia a escolha pela simplicidade, enquanto os solos dos violonistas não deixavam “buracos” naqueles belos acordes populares. As danças de Renata esbanjavam alegria e refletiam nos rostos contentes das senhoras presentes. O encerramento é animado e o público inteiro aplaude de pé. Enquanto isso, Mazzaropi e Elpídio agradecem felizes pela bela homenagem.

Set List: 1.Despertar do Sertão – 2.Fogo no rancho – 3.A dor da Saudade – 4.Fantasia Cigana – 5.Alma Solitária – 6.Fox – 7.Juvená – 8.Saudade Danada – 9.Cai Sereno – 10.Modo da Casa – 11.Cabloco da Roça – 12.Beira de Mar – 13.Ciranda – 14.Chora viola, canta coração

Custos:
Transporte – R$ 0,00 (fui e voltei a pé)
Total – R$ 0,00

Nota – 9

Matéria e fotos por Allan Brito

5 comentários:

Fernanda Almeida Silva disse...

Parabéns pela estréia!!!!
Voz e violão? Isso é muito bom, né?
Beijos

gaia disse...

Você por aqui!!
putz...que texto bom hein Allan!
um beijo!

Sheyla disse...

Que boa estréia hein, filho?

Fiquei orgulhosa!
=)
Beijo!

Negão disse...

Oi Allan!
Foi um presente de natal saber da sua emoção com relação ao show. Isso não causa surpresa, pois quem sabe admirar a boa música brasileira não fica indiferente diante da poesia de Elpídio dos Santos.
Você conseguiu 'contar' o show, da perspectiva do público e comprovou o que a gente já havia sentido do palco, uma alegre paz Paraitinga dentro de São Paulo.
Dia 06/01/07 estaremos no centro cultural São Paulo, na Vergueiro.
A gente se vê lá!
Beijos, Renata e Negão.

Anônimo disse...

Paranga emociona! Sou fã há muito tempo. ~Pena que falta espaço para divulgação.