3.9.06

Lenine e Vanessa da Mata - Ibirapuera - 03/09/06

Eles cantaram com os olhos

Doze mil pessoas pulavam e cantavam ao som de Lenine e Vanessa da Mata no espaço montado atrás do Auditório do Ibirapuera. Sol forte sobre a manhã de domingo, o dia brilhava de forma condizente com o espetáculo: o céu estava lindo e quem olhou para cima acompanhou o azul e as nuvens alvas que viajavam.

Lenine entrou no palco e a Orquestra Bons Fluídos (Jazz Sinfônica com algumas modificações) já o esperava. Alegria se espalhou e o som forte do cantor pernambucano ecoou por todo lugar.

Imagine o maracatu popular de Lenine com um toque jazz-sinfônico. Pegue violão e bateria, misture com baixo acústico, violinos, clarinetes e outros. O resultado é um som cuja cadência leva o ouvinte a prestar bastante atenção aos detalhes da canção.

Impressionante é como um artista consegue comover tantas pessoas com sua obra. Metade das músicas que apresentou foram lentas, e nem por isso o público presente desgrudou os ouvidos. Cantavam junto tudo, num coro que parecia ensaiado. Lenine nem pedia. Sem combinar nada deixava de cantar trechos que eram perfeitamente conduzidos pela platéia.

O cavalheiro Lenine, depois de três músicas, sai do palco. Volta instantes depois trazendo uma dama, e aí então o Ibirapuera pára. Vanessa da Mata, mulher linda com cara de moleca, começou a cantar e o já eufórico público não sabia mais nem como expressar felicidade.

Começa a cantar e seu rosto é o de uma criança que acabou de ganhar um Nintendo de Natal. Aquela multidão aplaudindo Vanessa de forma extasiada fez com que nem ela nem Lenine conseguissem esconder a alegria e encanto. Depois do show conversei com ambos, e ela confessou ter cantado todas as músicas com os olhos segurando as lágrimas, um choro preso. “Fiquei emocionada o tempo inteiro, não sei se de longe dava pra ver”.

Lenine então sai e o palco é dela. A orquestra ia dando os tons, as tonalidades, e Vanessa levava sua voz de agudos firmes pelas canções. A primeira foi História de uma Gata, música extraída do musical infantil Saltimbancos, traduzido por Chico Buarque para o português. “Nós gatos já nascemos pobres. Porém, já nascemos livres.”

A trupe completa; orquestra, Lenine e Vanessa terminam o show executando mais algumas canções (veja o set list no final da matéria). No bis, repetiram duas, já que as ensaiadas com a orquestra eram apenas aquelas. Detalhe: todos ensaiaram juntos apenas uma vez antes de subir ao palco.

A orquestra balançava ao som do fuzuê. As duas meninas da terceira fileira de violoncelos, contagiadas pela alegria do espetáculo, riam uma pra outra, cantavam as músicas, e claro, ainda tocavam. O naipe de percussões, como sempre atrás de todos, parecia ligado em 220v. Pulavam e gesticulavam para o público pedir bis após a última música. Uma festa.

Saí de lá com uma quase insolação, já que o sol não estava pouco no Ibirapuera. Mas saí de lá feliz da vida de ver e saber que não é apenas na França que Lenine é sucesso absoluto. Nem o Passeio Ciclístico da Primavera – milhares de bicicletas juntas do lado de fora do parque preparando-se para uma caminhada ciclística -, que manteve os portões de entrada de automóveis fechado até 10:30, perturbou a festa. A praça atrás do auditório lotada pulava e cantava tudo num absoluto clima de paz.


Custos:
Refrigerante – R$ 2,00
Transporte – nada (fui e voltei numa longa caminhada a pé)
Nota – 9,5

Set List:

Lenine + Orquestra
1.Do it – 2.Gandaia das ondas/ Pé de areia – 3.Jack Sou Brasileiro – 4.Silêncio das estrelas

Lenine + Vanessa + Orquestra
5. Ai, Ai, Ai – 6.Paciência

Vanessa + Orquestra
7.História de uma gata – 8.Eu sou neguinha – 9.Case-se comigo

Vanessa + Lenine + Orquestra
10.Morro Velho/ Casa Forte – 11.Templo

Bis (todos)
1.Ai, Ai, Ai – 2.Morro velho

(fotos por Fernanda Almeida Silva)

8 comentários:

Carol Splendore Cameron disse...

AAHHH!!! imperdoável eu não ter compartilhado dessa experiência!!!
Compartilho aqui, de longe... e de perto... sua descrição é ótima e fez me sentir assim: junto.
Beijos

Anônimo disse...

Maravilha. E, como diz a Carol, sente-se um vazio por não ter estado lá. Luc Limas

Thamy disse...

Bom ...fui,amei,quero de novo....
Luciano lembra deu..uhauhauha
Antes do show vc até dormiu na minha barriga...uhauhauhaha
Querido, muito boa reportagem....
Vou entrar na comunidade do site...bjokssss

Amei o show galera....

Maira disse...

Fui...
E o que tenho a dizer é que já amava o Lenine, acho que ele é o melhor compositor do Brasil, já tinha visto seus shows e está cada vez melhor!! Agora.. fiquei impressionada com a Vanessa da Mata. Sempre gostei do som e das composições dela, mas nunca a tinha visto cantar.. fiquei encantada, apaixonada... maravilhosa.. uma voz encantadora!!
É disso que precisamos... de boa música!!
Bjs a todos

carol disse...

Preciso ir pra São Paulo!
Ai...fico triste de perder essas coisas! =(

Carmem Silvia disse...

Lindo seu relato... e as fotos da Fernanda!
Não pude ir, mas vibrei com suas palavras.

•cяïsïиђá• disse...

Que pena que não foi aqui, com certeza eu iria! =)

Parabéns, muito baca o blog!

Carol disse...

Dá até pra sentir a energia so show! =)