2.10.06

Zona de Tránsito - Instituto Cervantes - 02/10/06

Para pensar
São Paulo

Andava na Avenida Paulista. No disc-man, rock gaúcho no máximo volume. O passo rápido fazia parte da minha caminhada diária – e não poderia, por isso, ser mais devagar. Se resumir, eu era mais uma daquelas milhares de pessoas indo e vindo em São Paulo naquele momento. Atravessava a avenida em busca do Instituto Cervantes, localizado quase no final da Paulista, perto da Consolação. Uma das únicas exposições abertas de segunda-feira.

Quando entrei no instituto e vi as obras, tive uma surpresa: o tema era exatamente o tema que vinha me guiando Avenida Paulista afora: a vida urbana. O nome da exposição é Zona de Tránsito, obras que tentam expor as cidades em suas agruras e qualidades. São artistas brasileiros e de outros países americanos tentando pensar as semelhanças e diferenças de suas respectivas cidades.

Para mim, tudo era São Paulo. Como para alguém de Buenos Aires tudo será sua cidade; e isso é o que faz da exposição especial: nos leva a repensar nossa própria urbanidade. Talvez o quadro que melhor reflita isso é o Avoando, de Andréa Estopa. Uma cena chuvosa numa rua cinza, algumas pessoas numa foto. Uma delas tem asas desenhadas. As milhares de pessoas que andavam rápido na Avenida Paulista não eram só pessoas numa multidão, e sim uma mulher que gosta de mangas, um menino que ganhará um videogame, um senhor que leu um bom livro...

Para pensar a cidade, é imprescindível ter o olhar de Tom Lisboa. Ao menos o olhar que retrata em Polaróides (in)visíveis (ao lado). Nessa obra, o artista mostra os pequenos papéis que espalha pela sua cidade, Porto Alegre. Como foto, a obra Entrecorpos (fig. 1), de Marcela Tiboni , é belíssima. Retrata o contato entre o humano e o concreto, uma mulher interage com uma estátua.

- “Já reparou na árvore que existe em cima de um prédio rosa que está atrás de você, na esquerda?”. Tom Lisboa

No disc-man, ainda ouvia rock gaúcho: “há tanta gente pelas ruas, há tantas ruas, e nenhuma é igual a outra”.

Custos:
Cafezinho - R$ 0,70

Nota - 9

(imagens de divulgação)

2 comentários:

Allan Brito disse...

Certas coincidências só a Av. PAulista em uma propícia fusão com a arte pode nos oferecer!!! Fiquei realmente curioso pela exposição!!!!!!

Anônimo disse...

Adorei o blog!!! É mto útil... vou passar sempre por aqui pra ver o que tem. São Paulo é assim, procurando a gente acha de tudo!
Abraço
e parabéns pelo trabalho!

Natalia
fotolog.terra.com.br/travessao